Esther Fregossi González, presidente da FEC, fala ao portal
2017-03-14 08:39:09

A nova presidente da Federação Espírita Catarinense -  FEC, Esther Fregossi, González concedeu entrevista exclusiva para o portal Nova Era. Falou dos planos e desafios da nova gestão. Confira abaixo: 

Como presidente da FEC, quais são os planos da nova diretoria?

Esther Fregossi - Desejamos dar continuidade ao trabalho de fortalecimento da estrutura federativa e de união dos espíritas iniciado pelas gestões anteriores. Escolhemos como lema da nova equipe a trilogia do Sr. Allan Kardec: “Trabalho, Solidariedade e Tolerância”, já que, segundo Emmanuel*:

Trabalhando, melhoramos a nós mesmos.
Solidarizando-nos, enriqueceremos o mundo.
Tolerando-nos, engrandeceremos a vida.

*(Do livro "Luz no Caminho", pelo Espírito Emmanuel, Francisco C. Xavier, edição IDEAL)

Sempre alinhados com o Plano Nacional de Trabalho para o Movimento Espírita Brasileiro (CFN- FEB), priorizaremos: O estudo regular e continuado da Doutrina Espírita com ênfase nas Obras Básicas da Codificação; o aprimoramento continuado do trabalhador espírita em SC e a União dos Espíritas e o trabalho em prol da Unificação. Almejamos fomentar o diálogo constante a fim de definirmos de forma coletiva programas e planos de ação que contribuam efetivamente para que as Instituições Espíritas possam cumprir com o seu papel junto à sociedade.

Quais os desafios a serem superados no momento atual, dentro do movimento Espírita?

O estreitamento de laços Institucionais e a ampliação e fortalecimento das relações dos membros da Família Espírita Catarinense (FEC), constitui o principal desafio federativo.

Inicialmente necessitamos fortalecer as relações entre os elementos que compõem a estrutura federativa organizada para juntos trabalharmos pela sua ampliação. Segundo o IBGE (2010) no território catarinense aproximadamente 1,6% da população se declarou espírita, este dado nos remete a um público espírita muito superior a aquele que rotineiramente alcançamos em nossas atividades e eventos.

É imprescindível que nos organizemos a fim de ampliar de forma organizada e planejada a atual estrutura, abrindo novas frentes de trabalho. Necessitamos planejar uma expansão e distribuição mais equitativa das Instituições, pois, apesar de hoje haver cidades que concentram grande número de Casas espíritas, ainda temos regiões do Estado onde o Espiritismo formalmente não chegou. Com base em dados técnicos - demográficos e geográficos- e nos dados que estamos levantando através do Censo em andamento, pretendemos estimular a elaboração coletiva de um Projeto de reestruturação e expansão do Movimento Espírita em Santa Catarina.

No âmbito das casas espíritas, o que pode ser melhorado de uma forma específica?

De ordinário, nos envolvemos na rotina e nas crescentes demandas das Instituições e não nos detemos para aferir as dimensões transcendentes do trabalho que realizamos nas Casas Espíritas.

A atual fase de transição espiritual em que nos encontramos, representa um momento especial para reflexionarmos sobre nosso protagonismo institucional e pessoal neste processo renovador.

Precisamos difundir, estudar e debater mais a respeito do Projeto Divino de Regeneração da Humanidade através do Espiritismo. É imprescindível que nós, os espíritas, compreendamos que somos elementos meio deste projeto, e que o nosso trabalho reclama união e esforços integrados que transcendem os limites físicos das Instituições Espíritas.

A consecução deste Projeto Superior é responsabilidade individual que produzirá resultados a partir da conscientização da necessidade de empreendermos esforços coletivos.

Imperioso aferir que, as ações dos Centros Espíritas têm fundamental importância neste contexto, o momento porém, reclama alinhamento, ação ordenada e planejada e esforço conjunto. É fundamental assim, que dialoguemos a fim de avaliarmos se os objetivos que norteiam nossas ações estão efetivamente alinhados com o Projeto Divino e particularmente, se estamos cumprindo com o nosso papel perante o público interno e com a sociedade.

Como você avalia a comunicação da FEC, considerando o advento da Internet e a comunicação digital?

Precisamos aprimorar a Comunicação Social na FEC, estamos buscando parcerias para alcançarmos os recursos humanos e técnicos de que necessitamos para obtermos qualidade e eficiência.

Como toda atividade espírita depende de voluntariado o processo demanda mais tempo do que gostaríamos, mas, já estamos compondo as equipes do Departamento de Comunicação da FEC contando com apoio de profissionais espíritas da área de Marketing e Jornalismo. No âmbito da Presidência já contamos com assessoria de imprensa e pretendemos utilizar todos os meios e espaços disponíveis para colocarmos em evidência o Espiritismo e o Movimento Espírita na Sociedade.

A Comunicação digital será dinamizada e incrementada a fim de reduzirmos ao mínimo a utilização de mídia impressa. Estão sendo redesenhados o Portal FEC e o Facebook. Importante salientar que profissionais e aficionados da área da comunicação de várias regiões do Estado estão integrando a equipe multidisciplinar que trabalha para aprimorar nosso trabalho neste âmbito. Concluímos enfatizando que toda atividade federativa é realizada por colaboradores voluntários, e que, a FEC está de portas abertas para todos aqueles que desejem contribuir.

A Seara é grande e os trabalhadores são poucos....há muito por fazer, conclamamos os membros da Família Espírita Catarinense-FEC para juntos, planejarmos e executarmos o melhor ao nosso alcance em prol do Espiritismo em Santa Catarina.

Entrevista a Manoel Fernandes Neto

 

 

 





 Publicado em: 2017-03-14 por admin, última modificação em: 2017-03-14 por admin